Pesquisa inovadora prova que academias não representam risco adicional de pegar COVID-19


Um estudo acadêmico de larga escala concluiu que "não existe ameaça de aumento da propagação do COVID-19" nas instalações de fitness, mesmo quando ocorre treinamento intensivo.

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Oslo, liderada pelo professor Michael Bretthauer, pesquisou a transmissão do SARS-CoV-2 (o vírus responsável pela COVID-19) - e se era atribuível às academias.

"Nosso estudo não mostrou transmissão de vírus ou aumento da doença COVID-19 relacionada à abertura de academias", disse Bretthauer.

A pesquisa - a primeira do gênero na Europa - estudou 3.764 membros do público, com idades entre 18 e 64 anos, que não tinham comorbidades relevantes ao COVID-19.

Aproximadamente metade (1.896) das pessoas teve acesso a academias, enquanto a outra metade (1.868) - um grupo de controle - não.

Os primeiros tiveram acesso a cinco academias - SATS Sjølyst e CC Vest (dois clubes de saúde pertencentes ao gigante nórdico do fitness SATS), STOLT Stovner e Rommen (ambos operados pela rede de academias STOLT Trening) e EVO Bryn (um ginásio de propriedade e operado por EVO Fitness Group).

As instalações foram abertas a partir de 22/05/2020 especificamente para o estudo - enquanto a Noruega ainda estava em lockdown - e as atividades disponíveis nas academias incluíam serviços que os clubes normalmente forneciam, desde pisos de academias a aulas em grupo (incluindo spinning e yoga).

Aqueles que visitavam uma academia tinham que seguir o protocolo de prevenção ao novo coronavírus elaborado pelo Instituto Norueguês de Saúde Pública.

Eles incluíam distanciamento social (um metro para exercícios no chão, dois metros para aulas de alta intensidade), além de intensificar a higiene das mãos e da superfície, enquanto todas as estações de treino eram fornecidas com desinfetantes para que fossem limpos após cada uso.

A equipe da academia também controlava o acesso às academias, para garantir medidas de distância e evitar aglomerações. Os vestiários estavam abertos, mas os chuveiros e saunas estavam fechados.

A equipe de pesquisa testou cada pessoa quanto a SARS-CoV-2 por amostragem auto-administrada de naso, orofaringe e escarro após duas semanas - e doença clínica por ligação a registros eletrônicos de pacientes após três semanas.

No grupo que treinou em uma academia, 81,8% treinaram pelo menos uma vez e 38,5% visitaram uma academia seis vezes ou mais, com o restante variando entre essas duas medidas.

Dos 3.016 indivíduos que retornaram os testes de SARS-CoV-2 PCR, houve um teste positivo, mas enquanto o indivíduo positivo fazia parte do "grupo da academia", eles não haviam visitado a academia antes do teste positivo e rastreamento de contato constatarem que eles foram realmente infectados no local de trabalho.

Durante o estudo de três semanas, não houve visitas ambulatoriais ou internações devido ao COVID-19 em nenhum dos grupos.

Além disso, dos 91 funcionários que trabalharam nas instalações de treinamento durante o período experimental e concordaram em fornecer dados, 83 (91,2%) foram testados para SARS-CoV-2 e nenhum foi positivo.

Em conclusão, as pesquisas declararam: "Nosso estudo não mostrou transmissão de vírus ou aumento da doença COVID-19 relacionada à abertura de instalações de academia, fornecendo boas rotinas de higiene e distanciamento social.

"Pela lei de emergência, todas as instalações de treinamento foram fechadas na Noruega durante a pandemia. O fechamento foi justificado pelo pressuposto de que a atividade de treinamento nas instalações aumentaria o risco de transmissão de vírus entre os membros das instalações e, portanto, a doença de COVID-19 entre os membros, funcionários e comunidade.

"No entanto, medidas básicas de higiene das mãos e de distanciamento social - assegurando uma distância de 1 a 2 metros entre os indivíduos - são medidas comprovadas e importantes de proteção à transmissão de vírus. Elas são baratas, fáceis de aplicar e não exigem grandes recursos".

"Durante a pandemia do COVID-19, os países introduziram o fechamento de importantes atividades da sociedade porque se supunha que as medidas simples não seriam suficientes para conter a transmissão de vírus.

"No entanto, se a contenção de vírus, incluindo rastreamento de quarentena e contato, higiene das mãos e medidas pessoais de distanciamento social forem suficientes para impedir a disseminação do vírus, o fechamento poderá ser evitado.

"Nosso estudo procurou testar se o fechamento de academias é necessário ou se as instalações abertas podem fornecer higiene e distanciamento social suficientes para impedir a propagação do vírus".

"Se medidas de higiene e distanciamento pudessem ser alcançadas, assumimos que seria seguro abrir academias e instalações de treinamento.

"Como mostram nossos resultados, não houve aumento de doenças relacionadas ao COVID devido à abertura de academias e instalações de treinamento".

Acesse aqui a pesquisa da Universidade de Oslo na íntegra ou clique aqui 

Fonte: https://www.healthclubmanagement.co.uk/health-club-management-news/COVID-19-SATS-STOLT-EVO-Fitness-Michael-Bretthauer-University-of-Oslo/345783

VEJA TAMBÉM ....

Mogianos registram bons resultados no Campeonato Brasileiro de Kyokushin


Competição reuniu atletas brasileiros de várias categorias; equipe que disputará mundial fez bonita apresentação

Atletas mogianos fizeram bonito durante a 28ª edição do Campeonato Brasileiro de
Karatê Kyokushin, que aconteceu no último domingo (26) no Cooper Cotia, em São
Paulo. Os mogianos registraram excelentes resultados e agora irão se preparar para o
Campeonato Paulista de Karatê Kyokushin, que acontece no mês de agosto em Mogi
das Cruzes.
Leandro Onishi e Gustavo Araújo saíram campeões das categorias Kata Infantil e
Infantil Leve, respectivamente. Araújo ainda ficou em 3º lugar no Kata Infantil. Gustavo
Schmidt também conquistou o primeiro lugar, no segmento Juvenil Leve.
Na categoria Infanto Feminino, Marina Issa foi a campeã. Já Jorge Carvalho de Oliveira
foi vice-campeão Master e Guilherme Hirata ficou com a quarta colocação no Kata
Avançado.
“Independentemente dos títulos e conquistas, os atletas mogianos representaram
muitíssimo bem a nossa cidade. O Kyokushin continua sendo bastante forte no nosso
município e agora os preparativos são para a competição que acontece em Mogi”,
ressaltou o sensei Marcos Furlan, que acompanhou os atletas durante a competição

Novos Faixas Pretas


Novos faixas-pretas em Mogi das Cruzes!

Gustavo Schmidt conquistou a faixa no último exame e Luigi Batane confirmou sua faixa preta, agora em nível internacional.

Orgulho para o esporte mogiano e para a academia!

Mogianos no Torneio Novos Talentos


Campeões no Torneio Novos Talentos de Kyokushin.

Jorge Carvalho sagrou-se campeão na categoria Master. E Gustavo Araujo ganhou em duas categorias Mirim e Kata Infantil, agora o próximo compromisso dos mogianos é o Campeonato Brasileiro que será realizado em São Paulo.

Atletas participam de Campeonato Sul-Americano no Chile


Furlan Academia terá 4 representantes no Campeonato Sul-americano de KarateKyokushin no Chile

Neste final de semana, 29 e 30 de setembro, a Furlan Academia terá quatro representantes no Campeonato Sul-americano de KarateKyokushin em Concepción no Chile.

Representando a cidade estarão: na categoria juvenil, Luiz Fernando Malta, 4º colocado no Campeonato Brasileiro e 4º colocado nos Jovens Talentos, Gustavo Schimidt, no infanto juvenil, atual campeão Brasileiro Paulista, Maria IssaSayão, representanto a categoria infantil, atual Bicampeã Paulista e na categoria Absoluto, o campeão Sul Americano por categoria e 3º colocado no Sul Americano, LuiggiBatane.

Segundo o sensei Marcos Furlan, a participação dos atletas é importantíssima e os atletas estão preparados, já que os treinos foram intensificado na academia, com aulas específicas e em equipe

“Três dos nossos atletas terão a oportunidade de competir internacionalmente e mostrar todo o desempenho conquistado ao longo dos treinos. Luiggi tem a missão mais difícil, pois sua categoria não tem divisão de peso, onde ele enfrentará pelo menos 32 atletas de pesos diferenciados”, explica o sensei Furlan.
Se Luiggi conseguir a classificação entre os oito melhores atletas ele irá representar o continente no Campeonato Mundial que acontecerá no Japão em Novembro.

Sensei Marcos Furlan integra Kick Boxing Universitário


CBKB empossa seu Departamento Universitário.

Com o reconhecimento da WAKO IF pela FISU, todas os países filiados começam suas atividades visando a participação no circuito universitário mundial.

As ações iniciais estão voltadas a organização dos Campeonatos Estaduais a partir de 2019 e concentrar esforços para a participação no Campeonato Brasileiro da CBDU- Confederação Brasileira do Desporto Universitário, seletiva oficial para a Universíade, segunda maior competição esportiva mundial, ficando atrás somente dos Jogos Olímpicos.

Com isso a CBKB oportunizará uma nova fase na vida de seus filiados estreitando os laços com as federações universitárias estaduais e com a CBDU, pois é a única no território nacional autorizada a se utilizar da filiação mundial à FISU- International University Sports Federation.

Na ocasião foram empossados: João Godoy, Piracicaba, SP, membro do CERF/SP, Daniel Martins, Rio de Janeiro/, Preta da CBKB e Vereador da cidade do Rio de Janeiro, Lucas Jacob, Maringá, PR, que será o responsável pelo Diretoria Técnica e Marcos Furlan, Mogi das Cruzes, SP, Faixa Preta da CBKB e Vereador da cidade de Mogi das Cruzes.

Federação Paulista de karate Kyokushin

Após 08 anos na Presidência da Federação Paulista de Karate Kyokushin o "Sensei" Marcos Furlan integrará a diretoria como vice-presidente no quadriênio 2019-2022. A eleição tem chapa única e acontecerá no mês de dezembro de 2018.

A Nova diretoria será encabeçada pelo Shihan Tsutomu Morimoto e terá novos departamentos como o Kyokushin Universitário, Kyokushin Militar e Departamento dos Pais de alunos e atletas. 

Atletas classificados no Campeonato Paulista de Karate Kyokushin


Atletas da Furlan Academia voltam com 7 troféus do Campeonato Paulista de KarateKyokushin

No último domingo, 26/08, doze atletas da Furlan Academia competiram em Cotia, região metropolitana de São Paulo no Campeonato Paulista de KarateKyokushin.Participaram do evento 250 atletas do estado de São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro.

Entre os doze atletas que representaram a equipe mogiana comandada pelo sensei Marcos Furlan, sete voltaram campeões para Mogi, entre eles Mario Formaggio -3º lugar na categoria seniores, Gustavo Duarte - campeão Infanto Juvenil, Jessica Yumi - vice-campeã de Kata Intermediário, Fernando Kataoka - 3º colocado Kata Intermediário, Gustavo Olivera - 3º colocado Kumite Intermediário, Leandro Onishi - Campeão Kata Infantil e Guilherme Hirata - 3º colocado no Kata Avançado.

Para o treinador Furlan, participar de campeonatos como este é a oportunidade dos atletas colocarem em prática o trabalho desenvolvido ao longo dos dias nas aulas, ganhando experiência para eventos nacionais e internacionais.

A próxima competição já tem data marcada, daqui um mês, em 30 de setembro, os atletas LuiggiBatane, Luiz Malta, Gustavo Duarte e Marina Sayão participam do Sul- Americano de KarateKyokushin em Concepcion no Chile.

Mogianos saem com vitórias no Campeonato Brasileiro.


Mogianos saem com vitórias no Campeonato Brasileiro de Karatê Kyokushin 
Mogianos tiveram importantes conquistas durante o torneio; Luiggi Batane está classificado para o Sulamericano

Mogi das cruzes viveu momentos de superação, dedicação e vitórias durante a realização do Campeonato Brasileiro de Karatê Kyokushin 2018, realizado na cidade no último domingo (01). A iniciativa reuniu mais de 150 atletas de todo o país e contribuiu com a campanha do agasalho do Fundo Social, arrecadando mais de 600 peças.
Dos resultados finais, Mogi das Cruzes registrou importantes conquistas, com Leandro Yoshiteru Onishi como campeão da categoria Kata Infantil; Nicolas Bernardo Conceição como campeão do Mirim leve; Gustavo Schmidt na primeira colocação do Infantil Juvenil Pesado e Jorge Carvalho de Oliveira como vitorioso na categoria Master Leve.
Já a mogiana Jéssica Yumi Hamaguchi terminou como vice-campeã do Kata Intermediário; Fernando Akira Kataoka na terceira colocação do Kata Intermediário; Paulo Henrique Souza como quarto colocado do Juvenil Leve e Luiz Fernando Malta Júnior também na quarta colocação do Juvenil pesado.
No Absoluto, Luiggi Batane terminou a competição em sétimo lugar, resultado que garantiu a classificação para o Campeonato Sulamericano, já que os oito melhores estavam automaticamente classificados para a disputa internacional. A próxima agenda dos caratecas de Kyokushin é no dia 27 de agosto, na disputa do Campeonato Paulista da modalidade.
“Tivemos ótimos resultados para os atletas mogianos. A cidade foi muito elogiada pela receptividade e organização do evento”, salientou o professor Marcos Furlan, presidente da Federação Paulista de Karatê Kyokushin Oyama.